• Av. Padre António Vieira, Ed. Mercúrio, Bloco II, Loja nº 5, R/Chão Esq, 5400-086 Chaves
  • Tel: 276 400 200
  • Seg - Sáb: 8:00 - 20:00
  • Domingo: Fechado

AUTOMEDICAÇÃO – Um grave problema da saúde pública

AUTOMEDICAÇÃO – Um grave problema da saúde pública
17 de Agosto, 2020

AUTOMEDICAÇÃO – Um grave problema da saúde pública

Os portugueses estão a comprar cada vez mais medicamentos não sujeitos a prescrição médica.

Segundo os dados da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde – Infarmed, estamos a gastar cada vez mais em automedicação. Estes dados de 2017, demonstram que os portugueses desembolsaram 291,4 milhões de euros, um aumento de aproximadamente 45% relativamente há uma década.

Desde 2005 que entrou em curso a liberalização do mercado do medicamento, a lista dos medicamentos não sujeitos a receita médica continua a ser atualizada e conta já com mais de dois mil fármacos.

 

Quais os perigos da automedicação?

➡ O paciente pode desenvolver alguma resistência ao medicamento e numa próxima vez que necessitar de usar, poderá não fazer o efeito esperado;

➡ Podem anular efeitos de outra medicação que tenha sido prescrita;

➡ Possibilidade de intoxicação ou até dependência da substância.

 

Deve sempre consultar um médico

O médico é um profissional de saúde habilitado, que estuda os tipos de sintomas e doenças do ser humano, e ainda possui grandes noções de farmacologia.

O uso de qualquer medicação, deve ser sempre acompanhado devido ao grau de importância que tem para o nosso organismo e apenas consumido se realmente necessário.

Numa consulta, é possível avaliar todos os sinais do paciente, saber o histórico de doenças e pedir os exames importantes para o caso, para posteriormente ser avaliado e ser prescrito o medicamento mais efetivo para o acontecimento.

Use tempo consigo, e com a sua saúde!

- Saúde
Translate »